Constantemente transportamos famílias para passear com seu cão na praia e vemos muitos curtirem na areia e na água.

As pessoas têm o direito de não gostar de cães ou não quererem dividir o mesmo espaço que eles e isso tem que ser respeitado.

Talvez a solução seja a destinação de faixas de praias específicas, com definição de dias e horários, pela prefeitura.

Se você é desses que gostam de ir a praia com seu cachorro, separamos algumas dicas que podem garantir a segurança e o conforto e evitar maiores problemas:

 

Evite fuga

A faixa de areia das praia é um lugar amplo e os cães aproveitam esse espaço para brincar e gastar energia.

Em alguns casos as ruas que beiram as praias tem alta circulação de veículos.

Tome muito cuidado com seu cachorro. Em um pequeno descuido ele pode fugir e se perder e/ou sofrer um acidente.

Só leve seu cachorro se ele for sociável com pessoas e com outros cães.

As praias mais adequadas são as praias de baixa circulação de veículos e pessoas.

Mesmo na guia com coleira, ele pode acabar se soltando devido a ansiedade.

 

Hidratação

Leve uma garrafa de água para poder oferecer ao seu cão sempre que necessário.

O cão tem que estar com acesso à água o tempo todo. Seja água mineral ou água de coco.

 

Temperatura do asfalto

A temperatura do asfalto é outra preocupação. O chão muito quente pode queimar as patinhas do animal.

De preferência para levar seu cachorro nos primeiros horários da manha ou no final da tarde.

Cuidado ao caminhar no calçadão ou na faixa de areia mais afastada da água.

Busque um local de sombra para descanso, que pode ser um quiosque, uma árvore ou um barraca.

 

Cães sempre guiados

Mantenha seu cachorro sempre com coleira e guia, e com alguma forma de identificação (medalha com o nome do cão, nome do tutor e telefone para contato).

Nunca deixe seu animal solto!

Na praias temos idosos, crianças e outros cães e deixa-lo solto pode apresentar um risco para segurança dos demais banhistas.

Existem cães que já estão habituados e praias que culturalmente são frequentadas pessoas e cães, como a Praia da Joatinga, no Rio de Janeiro.

Nesse caso não há problemas dar um pouco mais de liberdade, mantendo sempre um acompanhamento para manter a segurança e o bom convívio.

 

Vacinação

Importante que o animal tenha o protocolo de vacinação em dia para socializar e interagir com demais cães e pessoas com toda segurança e preservando a saúde.

 

Esteja preparado para o recolhimento de fezes

A responsabilidade de limpar as fezes dos cães dos tutores.

As fezes deixadas no solo podem contaminar lençóis d`água, poços artesianos, lagos e lagoas.

Nunca jogue as fezes em bueiros ou no mar.

Utilize sacos plásticos para recolher as fezes

Existem sacos biodegradáveis vendidos em pet shops e eles são a melhor opção.

Na maioria das vezes ainda são guardados numa caixinha, acoplada à guia do cão, para facilitar.

O saco com as fezes pode ser depositado na lixeira comum, bem fechado.

Ele vai parar no aterro sanitário, mas não vai contaminar nenhuma fonte de água.

 

—–

A verdadeira preocupação da prefeitura deveria ser com os cães que vivem nas ruas pois esses circulam livremente sem nenhum tipo de tratamento.

O turismo Pet-friendly movimenta muito dinheiro nos países desenvolvidos.

Na Califórnia (EUA) diversas praias tem área destinada a banhistas com cães.

Para nós o cachorro faz parte da família e cada vez mais temos Shoppings, Restaurantes e Praças públicas que permitem a presença  deles.

Os cariocas merecem uma opção de praias para poder curtir com seus peludos!

Mesmo com a proibição, temos praias que tradicionalmente os cães podem ficar com seus Pets, sem maiores dores de cabeça e nossa equipe fez questão de conferir uma por uma!

Fique atento ao nosso Blog e acompanhe nossas matérias!